Passeio Informal: Pelos Caminhos dos Contrabandistas

Sexta Feira Santa, dia 30 de Março, levantei e fui espreitar a rua para ver como estava o tempo. Nublado e com uma leve brisa, ainda bom para a prática de btt. Tomado o pequeno almoço equipamento arrumado e colocada a bike na carrinha, rumei para Alcoutim para participar no passeio Pelos Caminhos dos Contrabandistas 2018.

Ao chegar ao local do evento o tempo apresentava-se ligeiramente melhor com o sol a aparecer timidamente por entre as nuvens. Aos poucos foram aparecendo os participantes que se reuniram junto ao Centro Náutico, entre conversas, rever caras conhecidas que há muito não se avistavam, a boa disposição reinava, dando assim partida para um passeio sem pressas e descontraído pelo campo de aproximadamente 30 kms. Antes da partida quis deixar umas palavrinhas em tom de discurso por parte de um dos organizadores (relembrar que era um passeio informal, logo cuidados redobrados) e, depois, tirar a foto de grupo (foto da praxe também ela tirada por um dos elementos da organização).

Para alegrar o pessoal o acumulado foi desde o início até meio do percurso todo gasto. É melhor assim, pois estavam todos os participantes fresquinhos! Por estradas de terra raramente utilizadas, para não dizer abandonadas e com a vegetação a romper por todo o lado (estevas e tojos), regatos, barrancos, veredas,  pinheiros, atravessar o IC27, passar por algumas localidades e percorrer alguns kms junto ao rio foi sem sombra de dúvida um passeio magnífico. O vento com a sua teimosia ainda conseguiu arrastar algumas nuvens que deitaram umas lágrimas por segundos, fazendo temer alguns que ainda retiraram os impermeáveis da mochila! Fomos auxiliados, socorridos, fotografados e acompanhados por um colega que de momento está em recuperação, mas mesmo assim no seu veiculo não deixou de marcar presença. As rápidas melhoras companheiro e que voltes depressa aos trilhos!

A boa disposição foi sempre o combustível principal para levar o pessoal até ao final do passeio, mas não esquecendo dos avios necessários e obrigatórios que cada um levava a juntar sem falta à paragem em Balurcos para repor as forças. Esta, a meio do percurso foi a cereja no topo do bolo, onde chegados ao café da localidade, cada um refrescava-se com sumos, água ou mesmo cerveja e alguns produtos caseiros que apareceram na mesa… Tudo coisas que estes passeios informais têm de excelência.

Para concluir, são estes passeios, aliados à(s) boa(s) companhia(s) que nos tornam mais leves, mais aliviados do stress, da correria do quotidiano e, ao mesmo tempo, recarregam baterias para mais uma semana de trabalho, estudos, etc. Depois do que foi vivido e tentado descrever, um passeio que se pretende repetir para o próximo ano. Obrigado à organização!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.